Banco central lança o PIX: Será o fim do TED e do DOC?

publicidade

 

logomarca do pixO Banco central é o principal banco do Brasil, ele é conhecido pela inovação e busca por novas tecnologias, mais uma vez o banco revoluciona o mercado, na última quarta feira 19 de fevereiro foi o lançamento do PIX um programa bem interessante.

O PIX veio para dar um fim a era do TED e do DOC, mais rápido e eficiente agora as transações serão feitas em questão de segundos, tudo na palma da mão e o melhor em qualquer hora do dia e em qualquer época do ano, seja em aplicativos de smartphones, tablets e computadores. 

publicidade
publicidade

O TED e o DOC são operações limitadas que possuem algumas restrições de dia e horário, outro detalhe que uma transação nesses sistemas dura cerca de uma hora e meia para ser concluída, com o PIX vai durar dez segundos, o que é excelente.

Assim como no TED e no DOC as empresas vão poder cobrar pelos serviços oferecidos pelo PIX para quem o utiliza, tudo estabelecido de acordo com as regras e pacotes de cada banco. Os mecanismos de segurança também vão variar de acordo com cada banco e tecnologia disponível.

publicidade

A ideia é trazer rapidez e segurança ao cotidiano das pessoas, o intuito é facilitar para que as pessoas façam as operações comuns do dia a dia com ganho de tempo. A finalização da transação poderá ser feita por QR Code ou por preenchimento de dados pessoais como CPF, e-mail ou número de celular.

O usuário poderá criar um QR Code  igual para compras no mesmo valor, chamado pelo BC de QR Code estático, ou gerar um QR Code diferente para cada transação. O que é bem interessante, pois pode facilitar bem o dia a dia dos comerciantes ganhando mais agilidade nas vendas, por exemplo.

O chefe adjunto no Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do banco central, Carlos Eduardo Brandt, disse que em novembro de 2020 já estarão disponíveis funcionalidades bem interessantes aos clientes e evoluções como pagamento por aproximação. 

O funcionário do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro Breno Lobo, disse que vão ser implementadas algumas medidas de obrigatoriedade de oferta desse serviço aos bancos, o que vai fazer com que o PIX chegue a uma maior parcela da população,  com isso as pessoas vão poder escolher a opção mais conveniente de acordo com o desejado.

publicidade
publicidade
publicidade

Todas instituições financeiras e de pagamento que tenham mais de 500 mil contas serão obrigadas a oferecer a opção a seus clientes, esse número inclui os principais bancos do país, essa mudança vale a partir do dia 16 de novembro, quando o PIX começa a funcionar.

A nova modalidade poderá ser usada em transações, como: 

Transferências de dinheiro entre pessoas ou empresas
Realizar compras presencialmente ou na internet,
Pagar contas domésticas, básicas do més água e luz,
Pagar taxas públicas, como, por exemplo, passaportes ou impostos, ou de serviços públicos, como o transporte público.