IOF do cartão de crédito: entenda de uma vez por todas

Saiba como funcionar o IOF do cartão de crédito

Todos sabem o quanto o cartão de crédito é útil para o dia a dia. Esta ferramenta, praticamente indispensável hoje em dia, facilita a todos na hora de fazer as compras em qualquer lugar e de evitar que tenhamos que usar dinheiro em mãos na hora de fazer as aquisições.

Mas, muitas vezes, ao analisar o cartão de crédito, nos deparamos com siglas que não compreendemos o que são e que não imaginamos como funcionam na prática. E uma delas que causa muita confusão é o IOF. Essa sigla, de uma taxa cobrada, está entre as que mais traz problemas e gera dúvidas.IOF do cartão de crédito

Reunimos todas as informações que você precisa para conhecer melhor o que é o IOF e como ela funciona, de forma que, assim, não haja mais dúvidas na hora de fazer o pagamento de sua fatura de cartão. Leia a matéria até o final e confira!

O que é o IOF do cartão de crédito?

Para começar, é importante que você compreenda que IOF significa Imposto sobre Operação Financeira. Este tipo de imposto serve para câmbio, crédito e seguro. As três operações juntas formam o imposto, que é federal e que é feito para o governo. 

Toda pessoa física ou jurídica precisa pagar o IOF em diversas operações que realize, fazendo com que você tenha uma taxa extra cobrada na sua fatura. As operações que envolvem a cobrança do IOF na fatura do cartão de crédito são: investimento, compra de moeda estrangeira, empréstimos e saques com o cartão de crédito.

Para cada tipo de operação realizada você tem um valor diferente de IOF cobrado. Por isso, não tem um valor correto para ser dito, vai depender da análise da operação e do que o governo determinar de cobrança para você.

Por que o IOF é cobrado?

Existem diversos motivos pelo qual o IOF é cobrado. Confira alguns deles:

  • Atraso no pagamento da fatura (porque o valor acumulado vai para a linha de crédito rotativo);
  • Compras no exterior – inclusive pela internet;
  • Financiamento da fatura do cartão;
  • Saques pelo cartão de crédito;
  • Empréstimos pelo cartão;
  • Pagamento mínimo ou incompleto da fatura do cartão no período determinado;
  • Compras acima do limite do cartão.

Outro motivo é que essa tarifa, além de gerar receita, também ajuda a medir a movimentação econômica brasileira e o uso de crédito no mercado. Ou seja, quanto mais IOF arrecadado, mais dinheiro esteve em circulação. E por conta disso ele é cobrado nas operações.

Compras parceladas no cartão de crédito, sejam parceladas ou não, não geram IOF, já que as compras não são consideradas como operação de crédito.

É importante lembrar que o IOF e taxas de juros são diferentes. Enquanto a taxa de juros pode ser negociada com um banco, por exemplo, o IOF não pode. Você deve pagar na íntegra.

Por que existe cobrança de IOF nas compras internacionais feitas no cartão de crédito?

Quando você realiza qualquer operação de câmbio internacional, seja com cartão de crédito,  seja com o dinheiro local ou qualquer outro, você tem que pagar um imposto sobre taxas cambiais. Esse imposto deve ser pago e, assim, o IOF está incluído na taxa de câmbio que deve ser realizada. 

Por isso, se você comprar ou vender moedas estrangeiras, deve pagar o IOF. 

A compra no cartão de crédito é considerada como transação com moeda estrangeira e, assim, você deve pagar a taxa de IOF em todas as transações que você realizar. 

Por conta disso, qualquer compra que você fizer, ainda que com cartão de crédito, de maneira internacional, você necessita fazer o pagamento do IOF, e essa taxa não tem como ser negociada.

Como evitar a cobrança do IOF no cartão de crédito

Como sempre temos formas de negociar o que se tem no cartão, com alguns cuidados você pode fazer com que não tenha que pagar a taxa de IOF em seu cartão de crédito. Confira algumas dicas para ajudar neste momento:

  • Realizar o pagamento das faturas de seu cartão de crédito em dia, para que o IOF não incida sobre o próximo pagamento;
  • Fazer o pagamento do valor total da fatura sem parcelar, evitando juros e o IOF;
  • Não entrar no cheque especial de sua conta corrente, o que vai fazer com que sua taxa cobrada seja ainda mais alta;
  • Não fazer saques pelo cartão de crédito;
  • Não pegar empréstimos com o cartão de crédito.

E, claro, caso não queira pagar nenhum tipo de taxa de IOF, não fazer compras internacionais usando o seu cartão. Entretanto, muitas vezes você vai precisar comprar fora do país. Neste momento, vale a pena você analisar se você vai pagar o valor com o IOF e, assim, você consegue compensar o valor pago.

Isso acontece principalmente quando você vai pagar menos no produto ainda que comprando fora e pagando todos os impostos.

Como calcular o valor do IOF

Existe um cálculo que você pode fazer para ter uma ideia do seu IOF a ser pago e se, ao incidir este valor no produto, se valerá a pena. 

A tabela abaixo mostra todos os cálculos de impostos que são cobrados no ano de 2022:

  • Compras internacionais: 6,38% sobre o valor da compra;
  • Compra e venda de moeda estrangeira: 1,1% sobre o total;
  • Empréstimo e financiamento: varia entre 0,38% e 3,38%;
  • Operações de seguro: até 25%.

Assim, cada vez que você usar o cartão de crédito para uma compra internacional, você vai pagar 6,38% a mais de IOF. Ou seja, se a compra custar R$ 100, você vai pagar R$ 106,38 já com a taxa. 

Por isso, tenha em mente este valor na hora de calcular as suas taxas.

Veja que a maior taxa é em relação ao seguro. Pode chegar a 25% do valor total da operação. 

É importante que você lembre que este valor pode mudar de acordo com o governo federal e com diversas taxas que se praticam no dia a dia. Com isso, você deve sempre ver as taxas praticadas antes de calcular seu IOF.

Com isso, vale a pena ver as taxas e fazer suas compras, sabendo exatamente quanto você vai pagar. 

Gostou? Confira no blog mais dicas de finanças para você.